PERGUNTAS FREQUENTES

Como saber qual será o acabamento da unidade?

Peça à construtora o Memorial Descritivo do empreendimento da unidade pesquisada.

O que é um Memorial Descritivo?

Um memorial descritivo é um documento que detalha todo o projeto a ser realizado, onde estão relacionados, um a um, todos os itens da edificação a ser construída. Estruturas, acabamentos, instalações, tudo deverá ser informado de acordo com o que será realizado na obra. É válido lembrar que o memorial não é o projeto em si. O memorial tem o objetivo de contar pormenorizadamente todo o desenvolvimento do projeto.

Comprei uma unidade e gostaria de agendar uma visita, como faço?

Os agendamentos de vistorias no empreendimento e/ou unidade adquirida é feito através do e-mail: sac@soledificacoes.com.br

 

Como funciona o processo de entrega do empreendimento?

Após a conclusão da obra, conforme descrito na promessa de compra e venda, é realizada uma assembleia geral. Os moradores/adquirentes são convocados para elegerem seu representante, o síndico, que já tem sua primeira tarefa: a vistoria das áreas comuns do empreendimento.

Com a conclusão da obra (expedição da Baixa de Construção), o cliente tem duas opções: ou quita com recursos próprios ou entra com um processo de financiamento bancário.Na segunda opção a Sol conta com parceiros especializados para lhe assessorar em todo processo, desde a contratação do crédito até o registro do imóvel. (Falaremos mais sobre financiamento bancário nas próximas perguntas).

 

Quando poderei receber as chaves do imóvel?

Após a quitação do saldo devedor, a área técnica entrará em contato para agendar sua vistoria e, estando tudo em ordem, é realizada a entrega das chaves.

Como registrar um imóvel?

Esse processo é realizado no Cartório de Registro de Imóveis, que contém o histórico de cada propriedade. O registro é formalizado pela escritura pública, feita no Cartório de Notas e após lavrada, dá-se entrada no Cartório de Registro de Imóveis.

Qual a diferença entre escritura do imóvel e registro?

O primeiro documento registra a transação de compra e venda e faz com que ele tenha fé pública. O registro, por sua vez, ocorre após a assinatura da escritura no Cartório de Registro de Imóveis. É nesse momento que ocorre a transferência de propriedade.

 

Qual será o valor do ITBI (Imposto sobre a Transição de Bens Imoveis)?

A quantia varia conforme o município em que o imóvel está localizado. Hoje Belo Horizonte cobra um percentual de 3% do valor venal, ou seja, o preço estimado pelo governo de acordo com informações da Certidão de Dados Cadastrais do Imóvel, presente no Registro de Imóveis.

Isso significa que se a propriedade vale R$ 100 mil e a taxa é de 3%, o registro custa R$ 3 mil. No entanto, ainda pode haver variação dependendo das condições ou do preço do bem. Por isso, o ideal é consultar diretamente na Prefeitura.

Qualquer pessoa pode fazer um financiamento imobiliário?

Há quatro tipos de financiamento imobiliário vigentes hoje no país: o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), o financiamento diretamente com a construtora, a carteira hipotecária e o Sistema Financeiro Imobiliário.

Basicamente a diferença entre cada um dos tipos está na taxa de juros, nos recursos que podem ser utilizados para pagar/amortizar a dívida (como a poupança e o FGTS, por exemplo), e o índice de correção.

 

 

Tenho saldo no FGTS, posso utilizá-lo para amortizar o saldo do financiamento imobiliário?

Pode sim. Financeiramente é vantajoso. No entanto, é bom ficar atento porque o FGTS é um fundo reserva para casos emergenciais, como doença grave ou desemprego. Utilizá-lo para amortizar o saldo devedor do financiamento casa é abrir mão dessa reserva.

Mas atenção, porque o FGTS só pode ser utilizado para dar entrada, pagar prestações ou quitar o imóvel se houver um mínimo de 36 meses de contribuições, mesmo que em empregadores diferentes.

Por outro lado, o FGTS só é aceito na modalidade do Sistema Financeiro de Habitação, e, mesmo assim só se não houver nenhuma parcela atrasada e para um teto máximo de 80% do valor das prestações.

Qual a melhor forma de financiamento bancário: Tabela Price ou SAC?

A escolha, nesse caso, é bastante pessoal. Na Tabela Price o comprador paga juros maiores e o valor das parcelas tende a aumentar. No entanto, a primeira prestação é menor. Pelo SAC os juros são menores e as prestações vão ficando mais baratas, mas a primeira é maior.